Seguidores

março 07, 2017

Resplandescente? Não, seria brilho a mais...

A superlua de Azeitão RESPLANDESCE ou RESPLANDECE?

Mais uma vez, temos um caso em que uso correto entra em choque com o que é comum ouvir-se.

RESPOSTA:
A grafia certa é apenas uma: RESPLANDECENTE!

Nota: Talvez a introdução daquele S clandestino se deva ao étimo da palavra com origem no latim resplendescente (particípio presente de resplendescĕre, «brilhar; resplandecer»).

Abraço.
ProfAP

março 06, 2017

“ter a certeza que” OU “ter a certeza de que”?

E marcou mesmo! Estás perdoado, Eder...

 “A forma mais correta é a certeza de que:
    Ter a certeza de que aconteceu alguma coisa.
Expressões como ter a noção, ter a ideia, ter a certeza, etc. requerem a preposição de, como se pode verificar nos casos em que as expressões não são seguidas de uma outra oração mas antes de um nome, em que é impossível retirar a preposição de:
    Tenho a certeza de muita coisa.
Fonte: Infopédia.

Abraço.
ProfAP

fevereiro 28, 2017

Poemas de amor 1



APENAS UM SONETO

O delicado desejo que te doura
e nos dura na pele quando anoitece
é contra a nossa vida que se tece
e é no verso que vive e se demora.

Amor que não tivemos nem nos teve
veio-nos chamar agora. De repente
fez-se névoa a palavra do presente
e luz teu corpo que toquei de leve.

Mas se arde na memória da canção
o corpo que me deste e me fugiste,
o verso é outro modo de traição

por que minto ao que tu nunca mentiste.
E enganamos assim o coração,
disfarçando de mitos o que existe.

Luis Filipe Castro Mendes (in “366 poemas que falam de amor”, antologia organizada por Vasco da Graça Moura.

Com amor,
ProfAP

fevereiro 19, 2017

Deve dizer-se “à última hora” ou “à última DA hora”?


Se o leitor tiver a intuição (infeliz) de consultar o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, ficará com a ideia de que tanto se pode dizer e escrever à última hora como à última da hora, uma vez que ambas as construções lá estão registadas...
No entanto, considerando que parece ter sido feito à pressa e com opções muito discutíveis, como no caso de hoje, este dicionário (publicado em 2001, em dois volumes) está londe de ser uma fonte fiável.

Como vamos ver, a conclusão é bem diferente!

CONCLUSÃO:
Devemos dizer à ultima hora!
Esta locução adverbial foi inicialmente adotada para designar um serviço de receção de objetos postais.

"Última da hora" não tem sentido: última quê? Se se dissesse «último», ainda podíamos depreender que estava ali subentendido um minuto, um segundo, um instante (ao último instante da hora...). (In Ciberdúvidas)
Fontes: Infopédia, Flip e Ciberdúvidas.

Abraço.
ProfAntónio

fevereiro 15, 2017

O que é um POTAMÓNIMO?

Geba é o potamónimo do maior rio da Guiné-Bissau.

Aparentemente complicada, depois de desmontada, a palavra revela os seus segredos:
Do grego potamós, «rio» + ónyma, «nome».

É isso mesmo, um potamónimo é uma palavra que designa os nomes próprios dos rios: Tejo, Danúbio, Geba, Nilo, etc.
Nota: A palavra hipopótamo tem uma origem parcialmente comum: entra na língua portuguesa pelo latim hippopotamu, mas tem origem no grego hippopótamos, «cavalo de rio» (hippo, “cavalo” + pótamos, “rio”).

Abraço.

ProfAntónio

fevereiro 14, 2017

De onde vem a palavra NAMORO?

Lado a lado, projetados na estrada da vida...

Comemora-se hoje o dia dos namorados, tradição eminentemente comercial e relativamente recente em Portugal.
De qualquer modo, o NAMORO merece ser celebrado. Mas de onde vem a palavra?

Munamo-nos de alguma paciência para uma viagem no tempo em várias etapas.
1. NAMORO resulta da derivação regressiva de NAMORAR, fenómeno que ocorre quando uma palavra é formada não por acréscimo, mas por redução. Outros exemplos: beijar – beijo; apostar – aposta.
2. NAMORAR vem de ENAMORAR, com aférese (fenómeno fonético que consiste na supressão de um fonema ou de uma sílaba no princípio de uma palavra). Outros exemplos: estou – tou; estamos – tamos.
3.ENAMORAR resulta da relação intensa entre um prefixo (en), um sufixo (ar) e o AMOR: en+AMOR+ar.
4. Quanto ao AMOR, não pode negar de onde vem: do latim… AMOR!

Comemoremos, hoje e sempre, o AMOR em todas as suas formas!
Abraço.
ProfAntónio


Dá-me a tua mão


Dá-me a tua mão. 

Deixa que a minha solidão 
prolongue mais a tua 
— para aqui os dois de mãos dadas 
nas noites estreladas, 
a ver os fantasmas a dançar na lua. 

Dá-me a tua mão, companheira, 
até o Abismo da Ternura Derradeira. 


José Gomes Ferreira, in “Poeta Militante I” 

fevereiro 06, 2017

Quantas designações há para os habitantes da Guiné-Bissau? E de Bissau?

Mercado do Bandim, em Bissau (agosto de 2016).

Os instrumentos disponíveis para esclarecer dúvidas em relação aos gentílicos (nomes que designam os naturais ou habitantes de um lugar) em língua portuguesa não abundam e nem sempre são esclarecedores. 
As conclusões do artigo de hoje resultam da conjugação do que dizem vários dicionários (Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, Grande Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, Dicionário Verbo da Língua Portuguesa e Grande Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora).

1. Habitante da Guiné-Bissau
A par de guineense, o termo que habitualmente utilizamos, também podemos dizer guinéu. Estes dois gentílicos também se aplicam aos habitantes da Guiné- Conacri e da Guiné Equatorial.
Seguindo de perto a designação em inglês (“Bissau-Guinean”), há quem proponha que se diga em português também "bissau-guineense". No entanto, a designação ainda não é reconhecida como uma opção.
2. Habitante de Bissau
Há duas palavras registadas nos dicionários: bissauense e bissanense (designação menos conhecida).
 Fonte: Ciberdúvidas.

Abraço para todos, mas em especial para a Guiné-Bissau!
ProfAntónio